terça-feira , dezembro 12 2017
Capa / Marrocos / Marrocos em versão para mochileiras

Marrocos em versão para mochileiras

Mulheres viajando sozinhas por um pais muçulmano é assunto suficiente pra ser debatido. Acrescente então o esquema mochila nas costas, orçamento limitado e aquela forte curiosidade de descobrir o que tem pra la de Marrakech. Foi nesse espírito que eu e minha amiga Gabi encaramos uma viagem de 10 dias pelo Marrocos. Passamos longe dos resorts, do glamour dos Riads, das mega massagens com óleo de argan, das piscinas refrescantes dos hotéis. Humildes brasileiras, pegamos transportes públicos, compartilhamos quartos em albergues,encaramos o sol a pé, nos perdemos na Medina, nos achamos, vimos o sol nascer no Saara, andamos de camelo.

tatuagem henna marrocos

Pra nós, o Marrocos ultrapassou a historia de que é uma sensação de sabores, cores e cheiros exóticos. Surpreendeu e incomodou na mesma intensidade. Belas paisagens de um lado, miséria de outro. Perigo de viajar sozinhas, nenhum, mas sentimos bem a dificuldade de viver ali enquanto mulher.

mulheres marrocos (3)

Entre o bem e o mal, fomos andando em frente, sozinhas, e cruzamos o litoral  num roteiro combinando Marrakech – Ouazarzate – Zagora – Essaouira – Safi – Casablanca.

Partimos de Lyon, na França, aproveitando uma super promoção da Esayjet que nos permitiu comprar Lyon-Marrakech / Casablanca-Lyon por 98 Euros. Quando o avião sobrevoou o estreito de Gibraltar a emoção foi grande de saber que em poucos minutos estaríamos botando os pés pela primeira vez na África. Brasileiros não precisam de visto pra entrar  no Marrocos, basta o passaporte com validade de mais de seis meses.  Nas grandes cidades, quem sabe francês tem grande vantagem, mas é possível se virar muito bem com o Espanhol pela proximidade com a Espanha e o inglês ficou corriqueiro por causa do turismo.

marrocos (1)

 Desembarcamos em Marrakech e passamos rápido na aduana, sem nenhum problema. Do aeroporto pegamos o ônibus publico – a linha 19 que faz o trajeto até a centro de 40 em 40 minutos, por simbólicos 30 Dhims. Pra quem for de táxi o preço deve ser mais ou menos de 100/150 Dhims. Veja a conversão aqui. Pegar esse ônibus não é nada do outro mundo, fomos com vários outros gringos muquiranas. São apenas 30 minutos de ônibus até descer no coração da cidade – a praça Jemaa El Fna.

mulheres marrocos (1)

Chegamos já no entardecer e ficando escuro. A primeira impressão é o caos. As ruas sem sinal, vale tudo, e a confusão visual com mulheres de burca ao lado das gringas de shortinho, charretes de passeio, aquele monte de homem usando vestido branco e tudo em meio a cobras dançando.

praca marrocos

Depois de alguns momentos hipnotizadas pela praça, resolvemos ir pro nosso incrível hotel de 7 Euros, o Hotel  Imouzzer.  Acho que deve ser a opção mais econômica de hotel em Marrakech.

mulheres marrocos (2)

O hotel é um Riad (jardim em árabe) no sentido mais original, uma casa de vários andares onde todos os quartos dão para um pátio interior com um belo jardim e uma fonte. Antes residências, com o desenvolvimento do turismo não deu pra evitar que virassem hotéis. Alguns verdadeiros Oasis de charme, outros mais modestos como o nosso. A maioria dos Riads fica dentro da Medina, a cidade fortificada que, no caso de Marrakech, data do século 11, com 19 km de muros de até 10 metros de altura. A Medida é o centro comercial e social da cidade, com mais 40 mil artesãos e trabalhadores empenhados na industria de tecido, cerâmicas, serviços e na hotelaria.

mercado marrocos

O hotel Imouzzer em Marrakech é bem conhecido de brasileiros que moram na Espanha e na França, então certamente vai encontrar algum grupo por la. O lado bom do hotel é que fica muito bem localizado na Medina e a alguns metros da praça Jemaa El Fna. Outro ponto forte é o terraço bem agradável pra tomar o café da manhã (cobrado a parte 3 EUROS), ambiente familiar e muito seguro. O lado ruim é que os banheiros são coletivos e não tem climatização. Mesmo sendo inverno ficou difícil dormir de noite, a umidade do ar parecia a zero. No verão dizem que o povo todo coloca os colchões no terraço pra dormir, o que pode até ser simpático adormecer vendo as estrelas do céu de Marrakech.

sapatos-marrocos

Passamos dois dias fazendo um tour pelos mercados espalhados pela Medina (os souks), pelos jardins e conhecendo a cidade.  Além do assédio ostensivo dos homens, não tivemos nenhum problema em relação à segurança.

praca jeema el fna

Turista na Praça Jemaa el-Fna

marrocos (2)

Tecidos em Marrakesh

Foi nesse tempo também que combinamos nosso tour de 2 dias até o deserto de Zagora, nas portas do Saara e divisa com a Argélia por 150 US$. Qualquer agência do calçadão que fica ao lado da praça faz o passeio. Aqui vai nosso erro de roteiro no Marrocos, o deserto é a melhor parte da viagem e deveríamos ter feito o tour de 4 dias entrando mais no Saara. Fica pra próxima vez e vale a dica pra quem vai.

 Onde dormir em Marrakech ? 

Hotel Immouzer (Quem dorme aqui fica bem próximo das mesquitas e pode ouvir o lamento a partir de 4:00 da madrugada)

Mulheres sozinhas no Marrocos ? Veja as dicas :
  • Parece obvio dizer, mas é sempre bom lembrar. Ombro, pernas e cabelo chamam atenção e evite que fiquem a mostra. Em Casablanca a maioria das mulheres se veste de forma ocidental, nem todas se cobrem e vi algumas até com calça jeans estilo « popozuda ». Eu defendo a tese de que uma estrangeira deve se esforçar ao máximo para passar desapercebida.
  • Esqueça o « eu sou simpática, não estou te dando mole », os marroquinos são extremamente amigáveis, mas muito susceptíveis ao mal entendido. Ao sair na rua é bem provável que um homem te siga, venha te abordar, ou convidar para um chá de menta. Nos vimos nessa situação muitas vezes. Esse comportamento não esta so ligado à cultura, mas ao fato de que realmente muitas europeias vão ao Marrocos com finalidade de serem paqueradas e algo mais. Isso eu vi com meus próprios olhos. Até você dar o sinal de que você não esta ali pra isso, esses homens vão tentar uma aproximação. Portanto, evite aborrecimentos, não aceite, não seja simpática, não dê papo. Simplesmente ignore ou responda da forma mais seca possível. Geralmente isso é suficiente pra que ele desista. Em casos extremos (raros), não hesite em chamar atenção esbravejando alto. Para cada homem desse que importuna mulheres existem 10 ao lado que abominam esse comportamento e certamente virão ajudar.
  • Sair de noite ? No nosso caso, optamos por aproveitar somente o dia. Depois das 18h em todas as cidades por onde passamos ja estávamos no hotel ou albergue. Nota-se a diferença de ambiente quando vai escurecendo – a medina fica um pouco assustadora. Mas caso faça amizade no albergue e saia seja prudente como em qualquer lugar do mundo.
  • Não da pra ser ingênuo. Como em todo lugar muito turístico, infelizmente sempre vai ter alguém querendo te passar a perna, vender um serviço 10 vezes mais caro do que é na realidade, falsos guias, agências meia boca. Portanto, antes de ir tenha todos seus hotéis em mãos e não mude de idéia no local. Um golpe muito comum dos « falsos guias » é oferecer albergues e pequenos hotéis logo na chegada dos ônibus em rotas turísticas e em vez de levarem para o hotel aproveitam pra roubar tudo.
  • Negocie sempre os preços, faz parte da cultura local mesmo que seja chato e cansativo. Afinal o primeiro valor dado vai ser bem superior ao que o produto realmente vale. No caso de serviços, negocie sempre ANTES de começar.

 

Continue lendo sobre o Marrocos :

Parte 2 : Uma noite no deserto, de Marrakech a Zagora

Parte 3 : Como ir de Marrakech a Essaouira

Parte 4 : Saindo da zona de conforto : de Essaouira a Safi

Parte 5 : Safi a Casablanca, fim de viagem

Parte 1 : Marrocos em versão para mochileiras

 

 

Sobre Nivea Atallah

Jornalista de formação e mochileira por vocação.

20 comentários

  1. Oi Nivea! Gostei muito do teu relato! Estou indo a Casablancas esse mês e queria saber dica de onde fazer uma tatuagem de henna para recordação, tem alguma sugestão? Obrigada! Abraços,

    Alinne

  2. Não existe problema algum em viajar a Marrocos. Desde que se respeite as pessoas, os seus hábitos e costumes, a experiencia será imensamente gratificante. Lembrem-se que um sorriso vale por mil palavras…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*